MARGARIDA DRUMOND DE ASSIS

- Professora, Escritora, Jornalista, Diretora Teatral, Poetisa, Romancista, Redatora, Cronista -

Margarida Drumond
Margarida Drumond
My Image

Romance, 1977; lançtº 1985; 2. ed. 2004

 

"Um conflito no amor é um livro mineiro por excelência, focalizando simultaneamente a vida em Belo Horizonte e aspectos típicos de cidades interioranas do Vale do Aço, o que é feito com precisão.Tendo como personagens centrais Roberto e Cibele, o romance se desenvolve com lances palpitantes e outras diversas figuras vão aparecendo, como que tiradas da vida real (...).” José Afrânio Moreira Duarte – Diário de Minas, Belo Horizonte/MG. “Da estirpe do poeta Carlos, o Itabirano, Margarida, em Um conflito no amor, brinda o leitor com surpresas constantes num estilo leve e gostoso.” Gilberto Amaral – Correio Braziliense – Brasília/DF.

UM CONFLITO NO AMOR
My Image

​​​​​​​Poesia, 1989 

 

“A poesia é luz que o vate baiano imortalizou no tempo e no espaço com as asas do condor. Nós outros admiramos-lhe a veia poética, nossa poetisa das Alterosas, e desejamos que continue a presentear-nos com as poesias do seu repertório lírico e sentimental pelos anos a fora. (João Fernandes da Conceição – Academia Taguatinguense de Letras – ATL, Taguatinga,Brasília/DF). "Busca de você não carece de pensamento algum. Ele se completa em si mesmo. A filosofia de uma busca está inserida nas facetas multicolores da própria natureza do buscar. Ela é” (Professor e Vereador Nilson Guedes - Timóteo/MG)

BUSCA DE VOCÊ
My Image
ACONTECEU NO CÁRCERE 

Romance, 1994; 2ª ed. 1999; 3ª ed. 2012

“Com a segurança e leveza de suas mãos de mulher e de artista, em Aconteceu no cárcere Margarida vai pontilhando de luz as tristes trevas do cárcere, envolvendo o leitor na terrivelmente humana trajetória existencial de Inácio e Paula. Comovente estória e história de uma vida que se cruza com tantas outras vidas, na hábil tessitura de um universo onde não se pode traçar nenhuma linha fronteira entre a ficção e a realidade.” Prof. José Lacerda da Cunha - Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caratinga – FAFIC

My Image

Ensaio, 1995

 

“Margarida Drumond apresenta um José de Alencar... ousado para os costumes de seu tempo, considerado impróprio à mocidade feminina da época, com os temas mundanos que abordava nos seus romances. Essas mocinhas, entretanto, burlavam o zelo familiar e, às escondidas, liam os seus livros e os traziam debaixo dos travesseiros... Preito a José de Alencar é uma obra literária que deve ser lida e apreciada por todos aqueles que se interessam pela Literatura Brasileira.” Profª. Nara N. Silva – Presidente da Academia Taguatinguense de Letras – ATL, Taguatinga-Brasília/DF.

PREITO A JOSÉ DE ALENCAR
My Image

Romance histórico, 1996; 2ª ed. 2010

 

“Tempo de saudade conta a história do município de Timóteo de forma diferente, em romance. É a história dentro da estória. Neste romance histórico revelador de fatos e personagens que vão emergindo da memória da octogenária “Vó Helena” e de seus descendentes e amigos, Margarida Drumond desenrola um romance que mexe com a vida e a sensibilidade das pessoas. Então, duas histórias se desenrolam: uma atual, que é a vida dos personagens e outra pertencente ao passado, que é buscada nas reminiscências de D. Helena, a personagem central (...)” Dom Lelis Lara – Bispo da Diocese de Itabira – Cel. Fabriciano.

TEMPO DE SAUDADE
My Image

Poesias, 2000; 2. ed. 2005

“Em Além dos versos sentimos o amor e a paixão profundos retratados em cada verso e em cada estrofe de seus poemas. ‘São sonhos e quimeras de uns, paixão ou descrenças de outros, mas, afinal, poemas ... são poemadeira’. São poemas que gritam lá do fundo da alma, buscando ‘alento na angústia’, caminhando ‘além da imaginação’, ‘buscando a paz’.” Professor e poeta Walter Zavatário – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Caratinga – FAFIC, Caratinga/MG

ALÉM DOS VERSOS
My Image

Romance biográfico, 2000

 

“Neste livro existe um pouco de suspense... um estranho olhava de longe a casa de Gaída e Nelito, uma pessoa perigosa que atacava nas fazendas naquele ano de 1940. Recordo-me de Margarida nos anos de 1986 e 1987, no Jornal Satélite. Ela era uma jornalista dedicada, que fazia de tudo para melhorar a situação daquele periódico mensal (na época, o único em Taguatinga). Pegadas no tempo tem de tudo um pouco: crônica, poesia e muitas fotografias – um verdadeiro álbum de família [livro homenagem da autora aos pais, Manuel de Assis Bowen e Margarida Drumond Bowen, pelas suas Bodas de Diamante – 1939 - 1999]. Vale a pena conferir.” Emanuel Lima – Professor e escritor – Academia Taguatinguense de Letras – ATL, Taguatinga – Brasília/DF.

PEGADAS NO TEMPO
My Image

Romance, 2001


Apesar dos descaminhos, Beatrice e Cleber se veem com chances de experimentar o que lhes sobrou de um grande amor. “Estou fascinada com o jeito que você tem de prender a atenção do leitor, um estilo de linguagem diferente. Com No acerto dos bondes, entramos na história de Beatrice e viajamos com ela, entre Minas e Bahia. Este livro nos faz amar ainda mais nossa querida São Domingos do Prata.” Maria Inez de Lana Rocha – advogada, São Domingos do Prata/MG. “Em No acerto dos bondes vemos o talento e a força que Margarida tem para criar e encantar. É muito capaz e autoconfiante. Lembra-me Castro Alves ao dizer: ‘Sinto em mim o borbulhar de um gênio’. E ela ama demais a Bahia, este livro é um canto à Bahia.” José Almiro Gomes – Advogado e escritor - Membro da Academia de Letras de Coaraci, Salvador/BA.

NO ACERTO DOS BONDES
My Image

​​​​​​​Crônicas, 2002


“Não dá pra esquecer combina sinceridade, espontaneidade e fluência. Em cada crônica, as reflexões muito próprias e as emoções manifestas da autora vão traduzindo vivências que também são nossas, sintonizadas que são com o mundo ao redor... Entre a compreensão intelectual e a intuição afetiva... a autora apresenta o que se pode chamar de documentos em prosa poética da contemporaneidade.” Professora e escritora Sylvia Cyntrão – Universidade de Brasília – UnB. “Com a leitura de Não dá pra esquecer nos damos conta de que o homem não é uma ilha; de que nossa vida é feita de fatos e pessoas que vêm ajudar a compor nossas crenças, valores e ideais.” Carolina Martins Paes Leme e Cristina Nascimento Silva – pôr estudantes, Universidade Católica de Brasília – DF. 

NÃO DA PRA ESQUECER 
My Image

Documentário biográfico, 2004; 2ª e 3ª ed. 2005; 4ª ed. 2006; 5ª ed. 2010 

 

​Em Padre Antônio de Urucânia, a sua bênção, Margarida Drumond de Assis insere o leitor em um tempo de curas e milagres, por meio de Padre Antônio Ribeiro Pinto, na intercessão de Nossa Senhora das Graças - um periodo que sobremaneira se destaca entre 1947 a 1963, quando ele faleceu, e que tem continuidade ainda hoje.

      Margarida Dumond registra as graças de Deus, numa ascese constante, sendo Padre Antônio continuamente merecedor dos pedidos de milhares de romeiros que vão ao Santuário de Nossa Senhora das Graças, confiantes na Virgem da Medalha Milagrosa, a Mãe medianeira para quem Padre Antônio dirigia todos os beneficios espirituais e físicos alcançados. Conforme destacou Dom Luciano Mendes, no Prefácio da 1ª edição, "Padre Antônio é exemplo para o clero e motivo de esperança para o povo (...)".

ISSO AQUILO E MAIS UM POUCO
My Image

Documentário biográfico, 2004; 2ª e 3ª ed. 2005; 4ª ed. 2006; 5ª ed. 2010 


​Em Padre Antônio de Urucânia, a sua bênção, Margarida Drumond de Assis insere o leitor em um tempo de curas e milagres, por meio de Padre Antônio Ribeiro Pinto, na intercessão de Nossa Senhora das Graças - um periodo que sobremaneira se destaca entre 1947 a 1963, quando ele faleceu, e que tem continuidade ainda hoje.

      Margarida Dumond registra as graças de Deus, numa ascese constante, sendo Padre Antônio continuamente merecedor dos pedidos de milhares de romeiros que vão ao Santuário de Nossa Senhora das Graças, confiantes na Virgem da Medalha Milagrosa, a Mãe medianeira para quem Padre Antônio dirigia todos os beneficios espirituais e físicos alcançados. Conforme destacou Dom Luciano Mendes, no Prefácio da 1ª edição, "Padre Antônio é exemplo para o clero e motivo de esperança para o povo (...)".

PADRE ANTÔNIO DE URUCÂNIA, A SUA BENÇÃO
My Image

Poesias, 2006

 

De novo o amor é um livro de poesias que registra uma nova fase na vida da autora, com poesias que mostram um amor mais amadurecido. Nasceu ainda a partir de uma intertextualidade com a poesia “O quarto em desordem”, de Carlos Drummond de Andrade. Nesta nova obra Margarida Drumond homenageia o poeta Carlos Drummond de Andrade, pelo seu Centenário de Nascimento, em 2002, a quem dedica a primeira parte do livro, com a poesia que ela fez “Ode ao Poeta do Século no Brasil, Carlos Drummond de Andrade”. DE NOVO O AMOR possui 3 partes: a Parte I – De Drumond para Drummond – um Tributo, com a Ode; a Parte II – Hino ao amor, com os poemas nos quais a autora fala do tal amor aos 50, mais maduro; e na Parte III – Margarida Drumond de Assis – obras publicadas, há pequenos textos sobre cada um dos livros editados, permitindo ao leitor ter uma visão da obra num todo e perceber se a sua coleção tem este ou aquele livro.

DE NOVO O AMOR
My Image
Roteiro cinematográfico do Romance, 2007; 2ª ed. 2008 

 

““Aconteceu no cárcere – roteiro cinematográfico tem uma estrutura sólida, característica de estilo e narrativa bem desenvolvidas e personagens com vida própria. Os diálogos são bem positivos e há um bom entendimento da relação entre o verbal e o não verbal (...).” Pedro Jorge de Castro, Cineasta e professor universitário, Brasília/DF. “Depois da leitura de Aconteceu no cárcere, você não é mais o mesmo. Ela nos emociona e mexe com a gente, também nos faz refletir sobre os problemas sociais abordados. Fique antenado a lançamentos da autora, aguarde pela oportunidade de ver o livro ‘ao vivo’, por meio da peça teatral, e procure a edição roteirizada do livro, Aconteceu no cárcere – roteiro cinematográfico, pois ela nos traz uma aprendizagem incrível: a de ver um livro que circula em nosso meio, em prosa, transformar-se, pelas mãos e mente desta hábil escritora, num filme pronto para ser produzido, com linguagens apropriadas ao cinema, pondo-nos em contato com as peculiaridades dessa grandiosa arte.”  Dinorá Couto Cançado, Educadora social voluntária, escritora e professora, Brasília/DF 

ACONTECEU NO CÁRCERE - roteiro cinematográfico
My Image

Documentário biográfico, 2010; 2. ed. 2012 

 

"(...) Trata da abertura de uma janela para o conhecimento da vida de dom Luciano Mendes e sua caminhada na Igreja, desde 1947, com sua entrada na Companhia de Jesus (Jesuítas), até 2008, no segundo aniversário de seu falecimento. 
No tocante à vida eclesial, é importante ressaltar que a obra mostra um período dos mais significativos da Igreja no Brasil, desde a criação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em 1952, do Conselho Episcopal Latino-Americano – Celam, em 1955, passando pela realização do Concílio Vaticano II e o pós-Concílio, acompanhando os pontificados de Pio XII a Bento XVI (…)”. Dom Odilo P. Scherer, Cardeal Arcebispo de São Paulo

DOM LUCIANO, ESPECIAL DOM DE DEUS
My Image

Documentário biográfico, 2015 

 

A escritora Margarida Drumond de Assis, em Dom Lara: vida de amor, testemunho de caridade, apresenta a vida e a obra de Dom Lelis Lara, da Congregação Redentorista - Província do Rio de Janeiro. A obra insere o leitor também no conhecimento sobre os Redentoristas e a história da Diocese de Itabira - Cel. Fabriciano, Igreja particular na qual Dom Lara atuou por 25 anos como Bispo Auxiliar e Bispo Diocesano, na prática de seu lema episcopal – “A caridade tudo crê”.

 

Dom Lara fez votos religiosos em 2 de fevereiro de 1946; e também em 2 de fevereiro foi ordenado sacerdote, em 1951, e Bispo em 1977. Chegou para ser o pároco da Paróquia São Sebastião - Cel. Fabriciano, em 1971, e, pelo seu carisma, simplicidade e atenção com o povo, trouxe de volta à Igreja os fiéis, em uma época em que muitos sacerdotes deixavam o ministério, naquela fase pós-conciliar. Seu falecimento ocorreu, no dia 8 de dezembro de 2016, quase um ano após o lançamento.

 

Editado pela Gráfica Scala – Goiânia/GO, dos redentoristas Província de Goiás, Dom Lara: vida de amor, testemunho de caridade, 536 págs. chega às suas mãos após quatro anos de trabalho cuidadoso desta atuante escritora, que fundamentou sua pesquisa em entrevistas com o próprio Dom Lara,  em textos impressos, mídias diversas, depoimentos de leigos, familiares e membros do clero, inclusive do Superior Geral da Congregação redentorista, Pe. Michael Brehl,  Roma - Itália.

 

“Margarida Drumond de Assis, com maestria, retrata em Dom Lara: vida de amor, testemunho de caridade traços fundamentais da vida  - vida de amor - de nosso amado irmão Dom Lelis Lara!  Mistério de uma vida que ultrapassa todo e qualquer enquadramento na sua originalidade. Sua marca registrada é o acolhimento, e ainda espalha alegria, música, em sua trajetória missionária (...)” – destacou no Prefácio, Dom Angélico Sândalo Bernardino, bispo emérito de Blumenau/SC.

DOM LARA: VIDA DE AMOR, TESTEMUNHO DE CARIDADE
My Image

Romance, 2º sem. 2017


Com que contentamento lhe falo sobre o meu novo livro, o romance DOCE COMPLICAÇÃO, ainda mais quando a hora é mesmo de alegria: é “Margarida Drumond: 40 anos escrevendo pra você”!
Em Doce complicação, você conhecerá a história da Terapeuta Ocupacional, Lidiane, que vive uma inesperada situação: Victor, interno de um dos hospitais psiquiátricos em que ela trabalha, mostra-se como seu apaixonado. E tudo lhe parece mais confuso, quando o colega Dr. Alberto também lhe declara amor.
Ao mesmo tempo em que você vai desvendando a trama do romance, perceberá o que escreveu, no Prefácio do livro, o médico-psiquiatra Dr. Augusto César de Farias Costa. Segundo ele, em Doce complicação há “histórias de pessoas com seus sonhos, suas conquistas, suas inseguranças, suas tristezas, seus prazeres, seus sofrimentos, suas grandezas, suas limitações, seus êxitos e fracassos”. Sim, porque, na história retrato “o ser em seu percurso errático na vida, sua incerteza e sua sujeição permanente à imprevisibilidade, no constante vir-a-ser da existência (...)”. É que aponto as agruras já acontecidas, mas também o percurso no tratamento da saúde mental, a partir da Lei da Reforma Psiquiátrica brasileira em 2001. Assim, você entenderá o que escreveu, no Posfácio, o psicólogo Jason Frutuoso: os personagens de “Doce complicação não se acomodam, eles foram construídos com a missão de provocar uma mudança institucional”.

DOCE COMPLICAÇÃO
My Image

Ensaio - 2016

 

“Da página ao palco: estudo e transposição de linguagem de O espelho, de Machado de Assis” apresenta o processo, em si, de transposição para a Cena, detalhando os passos para o alcance da produção dramatúrgica do conto machadiano - O espelho: esboço de uma teoria da alma humana. Com esta obra, Margarida Drumond de Assis - que já brindou o leitor com uma rica literatura, em diversos gêneros literários - agora traz o registro de seu lado dramatúrgico.

 

Autora de peças que já ganharam o palco, notadamente de seus próprios livros, ela mostra o fazer teatral. Para isso, destaca a presença do ator no palco, o que pressupõe, conforme expressou, “um espaço concreto, no qual ele tornará possível a trama de que participa, contando-a. Mas ao ator, conjugam-se elementos que contribuem no êxito da transposição de linguagem literária para o palco (...), elementos visuais e auditivos, com atenção para uma mais harmoniosa utilização dos recursos”.

 

A autora ressalta que, ao se pensar na transposição da linguagem de um texto literário para o teatro, é relevante considerar o fato de a obra ser ficcional, pois isso leva o espectador a se abstrair da realidade e alçar o plano da imaginação, daí surgindo as indagações do 'se'. E, conforme Da página ao palco “(...) devemos lembrar Stanislavski, para quem 'a peça e os seus papéis são invenções da imaginação do ator, uma série inteira de 'ses' e de circunstâncias dadas, cogitadas por ele (...)'”.

DA PÁGINA AO PALCO: ESTUDO E TRANSPOSIÇÃO DE LINGUAGEM DE O ESPELHO, DE MACHADO DE ASSIS
My Image

Crônicas e Poesias, 1º sem. 2018



Flores em campo árido, da escritora, jornalista e professora Margarida Drumond de Assis reúne crônicas e poesias que se constituem num chamamento ao leitor para que ele obseve o confronto das realidades mais próximas de cada ser humano, duras, muitas vezes, devido às mazelas sociais, notadamente por omissão das autoridades no cumprimento de suas funções. Por outro lado, em meio à aridez há sempre esperança; compete a cada pessoa romper as agruras e sobrepor-se às inóspitas condições climáticas, assim identificando, por suas ações, o potencial criativo e belo no renascer das flores.

FLORES EM CAMPO ÁRIDO
My Image

Documentário biográfico - 2º sem. 2018.

Em Irmã Mônica, caminho de Providência, a escritora Margarida Drumond de Assis apresenta a vida e a obra da dominicana francesa Monique Jeanne Marie Joseph Leclercq, Irmã Mônica, no Brasil desde 1951. Realizado o Concílio Vaticano II, a Província Brasileira opta por um trabalho mais junto do povo; após o contato com Dom Marcos Noronha, Bispo da Diocese de Itabira, em janeiro de 1968 a Congregação tem sua nova casa em São Domingos do Prata/MG. Ir. Mônica dá início a um trabalho missionário surpreendente e transformador; são também suas as aspirações do Concilío, por um Evangelho encarnado. E, há 50 anos, ali Irmã Mônica é caridade, amor e acolhimento: acolhendo e ensinando crianças e adolescentes atividades que resultaram na Fundação Monique Leclercq - FML, sempre atenta em "Educar para Crescer", possibilitando amplo crescimento de crianças e adolescentes e o bem de suas famílias.



IRMÃ MÔNICA, CAMINHO DE PROVIDÊNCIA
My Image

Documentário biográfico - 2º sem. 2018



Em "Eu já nasci padre!" documentário biográfico sobre a vida e a obra de Pe. Abdala Jorge, Margarida Drumond de Assis apresenta, com destaque, além do nascimento, infância, Seminário e Ordenação do querido sacerdote, os 59 anos de seu ministério na Paróquia São José de Acesita, em Timóteo, 51 dos quais como Pároco. Mineiro de São João Del Rei, é grande o legado de Pe. Abdala em seu testemunho de amor a Deus e aos irmãos; sua caridade para com o necessitado; seu acolhimento; sua atenção com os trabalhadores, mostrando-lhes seus direitos; a preocupação em permitir ao outro condições mais dignas de vida; o nascimento da Paróquia; a chegada de Mons. Rafael e as irmãs da Beneficência Popular; a voz firme de Pe. Abdala em suas empolgantes homilias, seu amor a Nossa Senhora e a força com que pregava os ensinamentos de Jesus são alguns tópicos do novo livro que nos traz Margarida Drumond de Assis.

EU JÁ NASCI PADRE!